E agora, o que faço da minha vida?

lost

Final do ano está chegando e nessa época eu já costumo ficar analisando o que fiz esse ano, o que será do próximo ano e por aí vai… Hoje o post é textão filosófico que vai entrar para a categoria Filosofando com  Amanda, categoria dos meus posts mais pessoais :D Parte dessa minha reflexão já contei nesse post no começo do ano, naquela época estava deixando acontecer, agora eu já estou mais para “preciso me definir!”

Já faz mais de 1 ano e meio que estou trabalhando em casa full time me dedicando ao blog e ao Quanto Custa Viajar (para quem ainda não sabe sou sócia do site que foi idealizado pelo meu marido).

Sou formada em design gráfico e sempre trabalhei desde que comecei a estagiar na faculdade acho que no 3° período. Logo quando saí, entrei numa empresa onde fiquei por 5 anos. Lá entre uma criação e outra, acabei criando o falecido “Troquei meu guarda-roupa na China” em 2012. O blog foi crescendo pois estava no boom das compras na China e minha renda não era sensacional, mas em 2014 eu decidi sair do trabalho pois estava ganhando um pouco mais do que o meu salário da empresa, só com o blog. Mas como tinha medo de sair do nada, ainda peguei um trabalho meio período. Nisso surgiu o Quanto Custa Viajar, uma nova tarefa e então em 2015 decidi pedir as contas e ir por conta própria.

Acontece que as coisas desandaram um pouco financeiramente. A crise chegou, o dólar subiu, as taxas vieram e meu blog caiu DEMAIS a renda. A minha sorte é que eu tinha uma reserva que consegui fazer enquanto trabalhava AND ganhava com o blog. Decidi então mudar o blog, abordar outros temas para não ficar presa nas compras da China. Foi um risco que precisava fazer. O acesso do blog caiu, pois, muitas pessoas entravam no meu blog só por conta das dicas de compras chinocas.

Enquanto isso fui me dedicando também ao Quanto Custa Viajar que só está começando a dar um retorno para os sócios agora hahaha! Lá minhas funções também são de comunicação e redes sociais.

Então já faz quase 2 anos que estou trabalhando por conta própria com comunicação e não design gráfico. Querendo ou não, 2 anos é um bom tempo e se você não pratica tal função, começa a ficar defasada. E o pior, começa a perder o interesse naquilo.

Fazendo essa reflexão já de final de ano, eu comecei a perceber que cheguei em um ponto perigoso onde muitas pessoas da minha geração estão chegando, o ponto onde não pretende mais trabalhar com aquilo que se formou na faculdade, mas também não sabe como arrumar uma nova profissão.

Digo que quero trabalhar com comunicação como estou fazendo agora com o blog e o QCV, é algo que gosto, se for pensar bem, sempre gostei disso. Mas e arrumar um real emprego nisso? É difícil pois minha experiência é em projetos pessoais e não tenho nenhuma formação na área. Claro que a experiência que criei, principalmente com o QCV, é enorme pois sou meio que “chefe” de comunicação, pessoas que respondem a mim, algumas funções que são importantes e que ajudaram o site a crescer muito hoje a ponto de se tornar referência quando assunto é viajar. Mas…e as empresas ao analisarem um currículo assim, vão dar a devida importância?

Minha geração é a que está mudando essa ideia de que temos que nos formar numa faculdade e trabalhar com aquilo para sempre. Estamos quebrando esses paradigmas, mostrando que não precisamos nos formar ou não queremos mais trabalhar com aquilo que formamos. Estamos nos tornando multi funções. Mas ainda rola um medo da nossa parte em realmente largar mão dessas “regras” pois temos que pagar nossas contas – no fim das contas hahah-!

Enquanto estamos nessa revolução, eu vejo que ainda existem muitas empresas -principalmente no Brasil- que estão no modo antigo de analisar currículos apenas e não as reais experiências e conhecimentos daquela pessoa. Por isso muitos jovens partem para o empreendedorismo – meu caso-. Mas ser empreendedor dá medo, ainda mais em tempos de crise. É se dedicar a uma coisa que não sabemos se vai dar certo. É abrir mão de horários estabelecidos, férias, 13°, segurança e por aí vai…

Eu mudei o blog, comecei a abordar outro tema que está começando a dar um resultado que é o de economia online. Mas não tenho como saber se isso vai pagar as contas como antes. O Quanto Custa Viajar está crescendo, mas também ainda não sabemos quando poderemos viver só dele (principalmente meu marido que ainda dá consultorias).

Então fico naquela, o que fazer?! Voltar a trabalhar com design gráfico? Deixar as coisas rolarem como estão e ir me dedicando? Procurar emprego na área de comunicação? Fazer uma nova facul ou cursos na área de comunicação (na verdade já andei fazendo de marketing online, comunicação online, curso de blogs, de SEO)…?

Vejam, é perigoso pois não sou tão nova assim, já com 31 anos as pessoas esperam ter uma carreira estabelecida né? Aliás, as pessoas esperam muitas coisas, que a pessoa esteja casada, com filhos ou planejando ter, uma carreira… Eu tô toda errada! Só no quesito casada me encaixo ahahah!

Gostaria muito de continuar com esses dois projetos (blog e QCV) mas se as coisas não mudarem, em algum momento as conta$ não vão bater e eu já estou pensando nisso com antecedência, sendo a pessoa responsável e preocupada que sou :D

O que vocês acham de tudo isso? Alguma sugestão, dica…? Ou depoimento de quem está ou já passou por isso? Qualquer palavra é válida!

Enquanto isso, estou jogando na mega sena, VAI QUE…! HAHAHAH :D

19 thoughts on “E agora, o que faço da minha vida?”

  1. Nossa, nem notei que o Troquei de guarda-roupa na China faleceu hahah, só reparei que o nome e layout mudaram e o assunto não era mais limitado a compras da China (ainda bem, porque não acho que compras na China compensem sempre). Pra mim foi mais uma evolução do que morte propriamente dita…

    Bom, eu sou da área financeira, então sobre dica de carreira não sei como te ajudar. Só queria dizer que acompanho faz anos, e vejo como o conteúdo evoluiu. Tem alguns aspectos mais crus se comparar com outros blogs que acompanho (acho que dos que acompanho, o 2Beauty é o mais “desenvolvido”), mas ficou mais profissional.

    Eu tenho angústias parecidas. Mesmo tendo 27 anos (nem tão nova, nem tão velha), sei que tenho um prazo de validade e um dia não poderei mais ser CLT com 13º, férias, FGTS etc.
    A pirâmide da carreira vai afunilando, não dá para todo mundo virar gerente/CFO/CEO – e nem todo mundo quer isso. Eu ainda estou pensando como acertar minha vida e descobrir o que faço depois – enquanto isso, vou juntando meu salário até quando der. Não sei se tento abrir um café, ou uma dessas franquias prontas, se vou prestar concurso, ou encosto no mestrado/doutorado e vou dar aula… e a vida é difícil mesmo, todo mundo precisa pagar as contas de algum jeito. Seria melhor se tivéssemos nascido numa família Setúbal hahaha, mas é o que tem para hoje.

    1. hehehe então, na verdade o Troquei na China se transformou nesse blog :D Q bom q vc curtiu a evolução! Eu já tentei fazer alguns posts mais diferentes, com dicas mesmo de tendência mas não dá ibope, infelizmente tem muita gente procurando conteúdo seco, leitura rápida…Nem tanto q Julia Petit mega foda tem q abrir o blog p/ fofocas e o conhecimento dela é bem pouco mostrado. A internet ainda é ocupada pela grande maioria por jovens (15-20 e poucos anos).
      É horrível essa indecisão né? Como falei em outro comentário, tá faltando uma Mãe Diná p/ ler nosso futuro e nos dar umas dicas :D Mas vamos indo né…dando aquela empurrada com a barriga e pensando com calma :D Adorei a parte da família Setúbal ahahhaha! Haaa seria bão :D

      1. Sabia que eu não gosto do Petiscos (nem sei se ainda chama assim)?
        Eu lia na época da Marina Smith, mas eu pulava os que eram longe demais da minha realidade (essas semanas de moda, tendências xyz que eu não tinha o menor interesse, etc). Com o tempo vi que estava pulando tudo, e não voltei mais ahahahaha. Faz muito tempo que o blog dela tem tantos assuntos diferentes que nem parece mais que é dela.

        1. Simmmmm, ela quase nem faz mais posts lá! Ficou uma mistura de fofoca com as coisas da semana de moda. O esquema agora é ver o canal dela mesmo que é o Petit Comite :)

  2. Oi Amanda! te acompanho em tudo snap, insta.. aqui no face tb. Talvez pq eu seja paranaense e tb amo gatos me formei em artes visuais me identifico em muitas coisas com você. tb estou nessa de não saber o que fazer hj estou completando 26 anos e estou bem preocupada… Ao contrario de você não estagiei nem trabalhei regime clt com artes visuais, tudo que fiz foi na raça,(freela) ando bem desmotivada da area tb.. aì meu namorado foi pra floripa e ficou uns 2 meses com um chef que tinha uma casa de sushi lá, aprendeu e estamos enrolados desde o meio do ano pra abrir o tal sushi delivery e tá tudo enrolado.. kkk pensa nuns momentos filosóficos que eu já passei esse ano?haha sem falar tb que estou namorando a 7 anos aí já viu tem que casar coisa e tal… por isso decidi pensar em um dia de cada vez, mais de boa pq tem momentos na vida que é melhor respirarmos e não pirarmos.. saiba você não está só. bjs

    1. Além dessa nossa indecisão pessoal, tem a crise pra ajudar né? Deve rolar medo de abrir um negócio pq nesses tempos…Essa vida de adulto não é fácil! Podemos voltar a ser crianças? Vamos juntos então, somos várias, uma torcendo pela outra :)

  3. Eu também tenho 31 anos mas trabalho formalmente e estou contando as horas para essa vida acabar. Eu entrei num projeto de imigração e estou em fase final. Estou super animada e disposta em trabalhar nos survival jobs que tiver que trabalhar, mas com muita esperança de que vou ter mais qualidade de vida. O problema das empresas, pelo menos na minha área, é que elas são muito conservadoras e tudo é muito dentro da lei brasileira. Trabalho muitas horas, não há equilíbrio na vida pessoal e profissional. Não acredito que uma vez que você saia da rotina, você queira voltar! Não se preocupe, ainda é muito jovem (somos jovens) e pode se reinventar! Aquela máxima que a vida dá voltas e a gente sobrevive é bem verdade! As contas? De um jeito ou de outro a gente sempre consegue pagar!

    Abraços

    1. É verdade Rita, eu acho q deveria rolar uma reforma trabalhista bem mais de acordo com os dias de hoje né, ñ tem pq vc ficar 8h numa empresa se umas 2h desse tempo vc não está fazendo nada. Qndo penso em voltar a trabalhar CLT eu já fico meio assustada pq é horrível vc ficar presa, ter q ficar levando atestado toda vez q vai ao médico, ter q ficar esperando qndo a empresa quer q vc tire férias… Somos jovens mas né, meeeedo! :P Mas vamos q vamos né, tentando nos achar nesse mundo! Tomara que dê certo sua imigração. Eu queria muito sair do BR para ter uma qualidade de vida melhor, mas por enquanto não dá…torcendo p/ esse dia chegar :D

  4. Não tenho nenhuma sugestão nem dica, só que TAMO JUNTO kkkkkk Tá difícil conquistar um emprego hoje em dia viu ;(

  5. Estou passando pelo mesmo, Amanda! Sou formada em publicidade, trabalho com isso desde a época do estágio e esse ano fui demitida por conta da crise. Tô na procura de emprego, mas tá muito difícil. Tô em um projeto agora de um blog (achadosblog.com.br) em resposta ao retorno que tive com o instablog (@achados_rj), mas que não me dá retorno financeiro nenhum. Claro que meu sonho seria me dedicar só a isso, mas é bem complicado…. Estou super confusa também se invisto mais na minha profissão com cursos, se fico só no projeto blog ou se parto para outra coisa completamente diferente! Acredito que essa dúvida está em mts pessoas da nossa faixa etária.

    1. Pois é né… seria ótimo se tivesse uma pessoa bem boa para ler nosso futuro e dar dicas :) Mas… vamo que vamo!

  6. Oi Amanda,
    Te acompanho algum tempo, por indicação de uma amiga que comentou que você morava no mesmo condomínio que o meu e dava dicas de compra da China, hoje continuo te acompanhando no insta.
    Sou da área de Marketing e estou na mesma situação que a sua,em casa com indecisão e insegurança com o futuro. E voltar para o mercado para uma empresa onde você tem que fazer mil coisas, com o salario baixo e ainda ter que servir o cafézinho é complicado mesmo. Bom, não sei se te tranquiliza saber que tem mais gente na sua situação, mas espero que o caminho certo se abra para você.

    Abraços,
    Leticia

    1. Então é vc dona dos pacotes da China q não são meus? ahhha :D Essa área de marketing tb é complicado né, querem profissionais multi funções com salário q quase nem paga o curso numa facul particular :( É legal saber que muitas estão na mesma situação, logo vou abrir um grupo das “o que fazer da vida?!” para trocarmos ideias, quem sabe até abrir um negócio juntas ehheheh! bjs

  7. Olar Amandinha!
    No momento estou com 31 anos, partindo pros 32!
    Sou formada em Administração e tenho MBA em Administração e Qualidade, e nunca fico sem fazer um cursinho on line (faço sempre um voltado para área comercial/administrativa, e o próximo de um assunto variado só pra eu me atualizar e aprender mais). Ou seja, to sempre na luta com relação a aprendizado!!
    Eu amo a área da Qualidade ♥ (me julgue, ahahah), tenho curso de auditora da qualidade e duas vezes por ano, atuo como tal internamente, massssss minha função original é no departamento de vendas, como assistente.
    As vezes me sinto uma tiazona de quase 32 :-(. Muitas outras vezes, me sinto ingrata. Pois, apesar da crise, estou trabalhando a 4 anos na mesma empresa e meu salário (pra realidade do Brasil no momento), não é de todo ruim!
    Vivo mandando currículos, mas todas as vezes que me chamaram para entrevistas, a eventual troca não valia a pena.
    Acho que o recrutador olha meu currículo e pensa: saporra vai vir pra cá e logo vai ficar grávida (tenho amigos q trabalham em RH q já colocam de lado candidatAs com este perfil – mulheres casadas acima de 30 anos sem filhos), OUU tem pós em uma área e trabalha em outra, deve ser péssima em ambas)!!
    Volta e meio fico frustada, chateada, me achando o verme que habita o coco do cavalo do bandido hahaha, pois sei que sou uma profissional gabaritada, mas a coisa não desenvolve!
    A empresa que trabalho é grande, mas sei que não tenho como prosperar aqui. Eles são japoneses (sacoméné??! sem ressentimentos), mas eles são muito tradicionais.. só quem tem zóio puxado sobe de cargo!! Normal!!! Então minha amiga.. só sei que nada sei.. me abraça!! bjbjbj

    1. Pior além de tudo, temos q enfrentar o preconceito de ser mulher e no “perfil perfeito” pra ser mãe ¬¬ . É muito chato estar numa empresa onde vc sabe q não vai sair daquilo, fiquei assim por 5 anos, nos primeiros anos vc vai, mas depois de um tempo começa a sufocar a ideia de ficar ali e naquilo pra sempre né? Como vc tem emprego fixo e salário ok, em momento de crise é realmente melhor agradecer e esperar… O Brasil tá voltando aos poucos a crescer na economia, vamos manter fé p/ 2017 hahaha :) Bjssss

  8. Ai Ai, Amanda! São tantas dúvidas, né?!
    Tenho 29 anos (trintinha em janeiro) e estou na fase: o que estou fazendo aqui neste emprego chato!
    Sempre fui muito ansiosa e preocupada com o futuro, trabalho desde os 14 anos.
    Com 21 me formei em Administração e sempre trabalhei nessa área. Faz 3 anos que sou funcionária pública (também na área administrativa) e hoje me vejo não querendo estar onde estou, muito menos trabalhar com isso pro resto da vida.
    Hoje o que bate é um arrependimento de não ter ido morar fora (tudo bem que na época eu não tinha condições de pagar por isso, nem sabia que havia outras possibilidades, tipo, fazer um AuPair ou esses intercâmbios voluntários)…
    Se eu não fosse casada (não tenho filhos), acho que largaria tudo e iria pra outro país, porque o Brasél não está colaborando.
    Em 2013 fiz um curso de comissária e acho que vou retomar isso na minha vida. Como é beeeeem concorrido entrar em uma Cia Aérea, por enquanto decidi que vou me dedicar a área da beleza (comecei um curso de design de sobrancelhas, depois vou fazer o de micropigmentação) e vou manter meu empreguinho quadrado até conseguir mudar de área.
    Mas veja que notícia boa, se eu, que estou mais perdida que cachorro em procissão, tenho esperanças, você também tem que ter.
    Não desanima não, a vida às vezes toma caminhos que nunca imaginamos ;)

    1. uhauheuhauhe mais perdida que cachorro em procissão é ótimo :) Pelo menos vc tem um emprego segurança e pode ir estudando outras coisas, isso é bom, você não tem a liberdade total mas tem a segurança de um salário (q querendo ou não é importante né?!). Enquanto isso você busca o que te faz feliz! Eu nem emprego fixo tenho UAHUHEUHUHE. Socorrrr! Mas vamos lá! Firmes fortes e todas juntas na insegurança :D bjssss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *